sábado, 23 de abril de 2011

Mãe de joelhos, filha de pé!


Já faz algum tempo que resolvi me "filiar" ao movimento das "Déboras".
Tenho experimentado a presença de Deus e a paz que só Ele dá à medida em que coloco em prática o "lema" das Déboras: Mãe de joelhos, filhos de pé!! 

Aprendi desde cedo, ainda na infância; na EBD e também pelo ensino e exemplo dos meus pais que a oração é a chave; o segredo para uma vida cristã vitoriosa e uma arma que o cristão tem contra as hostes espirituais da maldade. A oração muda nosso coração, nos aproxima mais de Deus e nos permite ouvir e entender a voz de Deus.

Quando criança, eu tinha muito medo da hora de dormir.
Sempre via vultos e tinha sonhos assutadores!
O cair da noite era sempre um tormento!


Minha mãe, Eunice,
uma "Débora"; passou
a maior parte do início
das minhas  noites de
infância sentada ao meu
lado na cama orando comigo e me ensinando a pedir a Deus que me guardasse, tirasse o meu medo e me desse paz. Nossas orações sempre terminavam assim: ..."porque só Tu, Senhor, nos fazes repousar em segurança." 
Lembro muito bem que à medida em que fui crescendo; ao compartilhar alguma preocupação ou acontecimento aparentemente banal do meu dia; ouvia minha mãe dizer: - Vamos orar sobre isso.

Sei que as orações de minha mãe me mantiveram de pé, firme em Deus. Hoje, cresci!! Agora, já não não tenho medo de dormir sozinha! rsrs
Aliás, o verdadeiro amor de Deus lançou fora todos os meus muitos medos, que me acompanharam e atormentaram até a idade adulta!
Foi em uma ocasião especial que Deus tirou todo meu medo. Além de ouvir a voz de Deus falando, senti como se um grande peso fosse retirado de sobre mim e comecei a sentir-me descansada e plena de paz!Mas essa é história pra outra hora! rsrs
Agora; diante dos desafios diários levo minhas petições a Deus e cada passo do meu viver coloco diante do Senhor em oração!
Confiante no Senhor e segura em Seu amor, tenho um sono tranquilo e segurança!


Hoje, tenho uma filha de 3 anos de idade e a cada noite oramos juntas sobre cada momento do seu dia e pedimos auxílio e agradecemos a Deus por tudo.
Depois que minha filha dorme me ajoelho aos pés de sua cama e oro por ela: seu presente, seu futuro, seus sonhos, seus sentimentos, sua escola, professores, pessoas com quem se relaciona, colegas...

Oro pelo tempo que sentir necessidade e posso testemunhar que faz toda a diferença. Há noites em que chego muito tarde do serviço e não oro dessa maneira específica, devo confessar. Por isso, sei que faz diferença pois minha filha acorda totalmente diferente na manhã seguinte.

EU, UMA DÉBORA...
Minha filha vinha enfrentando já há algum tempo medo semelhante ao que eu tinha para dormir quando criança. Sempre orávamos sobre isso, cantava com ela hinos cristãos, lia uma história bíblica e ela, depois de um longo perido; por fim adormecia; mas todas as noites ela se queixava do mesmo temor, demorava bastante a pegar no sono, se recusava a dormir sozinha em sua cama e dizia que temia fechar os olhos por causa do mal.

Pois bem! Noite passada, após ler uma história bíblica, cantarmos e orarmos juntas; ela adormeceu e pus-me então a orar.
Não sei exatamente por quanto tempo; mas lembro-me muito bem de ser impulsionada a orar insistentemente sobre a mente da minha filha, repreendendo seu medo de dormir, sua falta de segurança e seus temores noturnos.
Clamei a Deus e profetizei libertação sobre a vida da minha filha.
Chorei e pedi a Deus que não deixassse que minha filha vivesse com medo, assim como eu vivera na infância.
Pedi que ela se sentisse protegida, amada, querida e guardada por Deus e que sentisse com todas a suas forças o meu amor e que não se sentisse insegura em momento algum.

Tive um momento longo e abençoador na presença do Pai Celestial! Louvei a Senhor e fui dormir cheia de conforto e paz no coração!


Hoje pela manhã, minha filha acordou um pouco mais tarde que o normal; sem chorar, sem querer ir para a minha cama e disse com toda a alegria: Bom dia, mamãe! Eu dormi a noite toda sem medo! E.. Mamãe: - Eu acordei sonhando que você me ama muito! Mais tarde, ao encontrar a avó a primeira coisa que ela disse foi que dormiu a noite toda sem medo nenhum!


O que é isso, se não o poder transformador e miraculoso de Deus?
Minhas orações não foram audíveis em português! Orei em espírito! Não falei nada que a minha filha pudesse ouvir, mesmo durante o sono!
Eu falei apenas com Deus! E Ele, todo poderoso, trabalhou enquanto eu e minha filha dormíamos!


Ah! Deus! Como Tu és maravilhoso!
Obrigada por responderes às nossas orações!
Origada por nos dar paz e segurança!
Obrigada por cuidar de nós enquanto dormirmos!


Ass: Sal. também Débora: mãe de joelhos!

4 comentários:

Leonardo S. Freitas disse...

Muito bom e confortante ler isso. Feliz pela sua experiência, imagino sua emoção quando a sua filha disse aquilo.

Graças a Deus!

Sal disse...

Emocionante! Fiquei maravilhada com a "instantaniedade" da resposta à minha oração"" rsrsrrs E durante todo o dia e desdr então, tenho notado uma grande diferença no comportamento dela! Graças a Deus!

Anônimo disse...

Finally, an issue that I am passionate about. I have looked for information of this caliber for the last several hours. Your site is greatly appreciated.

Pr. Aldenir Araújo disse...

A oração persistente de uma mãe recompensada

Texto: 1 Samuel 1:01-11ff

Introdução: Todos nós sabemos sobre a oração. Nós oramos por nós mesmos, nós oramos por amigos, oramos por estranhos, oramos por todos os tipos de situações. Às vezes, vemos nossas orações respondidas rapidamente, às vezes mais tarde, às vezes não. Havia uma mulher no Antigo Testamento, que orava e orava e orava e, finalmente, Deus ouviu sua oração e respondeu. Sua persistência na oração é um excelente exemplo para nós hoje.

I. A mulher, Ana não tinha filhos, era estéril.
1. Todas as suas amigas tinham filhos, até mesmo a outra esposa do seu marido tinha filhos, e Ana estava profundamente angustiada.
2. Sua depressão e angustia desgostava seu marido Elcana muito.
3. A outra esposa do seu marido (Penina) que tinha filhos zombava de Ana e estava com ciúmes porque seu marido parecia importar-se mais com Ana do que com ela.
4. Havia a crença de que Deus tinha relações direitas em ter filhos e se a mulher não tinha filhos, era um sinal de pecado em sua vida.
a. Infelizmente, hoje, as pessoas tiram a vida da criança antes de nascer, alguns fetos são encontrados em latas de lixo.
II. Ana orou por um filho.
1. Ela ia anualmente ao templo em Siló, e orava e orava para que Deus lhe desse um filho.
2. Ela estava constantemente em oração em casa por uma criança.
3. Finalmente Ana fez uma aliança com Deus:
a. Para um filho.
b. Ela promete devolver o filho a Deus para que Deus o use.
4. As pessoas continuam tentando fazer acordos / alianças com Deus.
5. Ana orou tão intensamente, tão frequentemente no templo que o sacerdote Eli pensou que ela estava bêbada.
III. Deus ouviu sua oração persistente.
1. Deus cumpriu Sua parte na aliança / contrato e deu a Ana um filho.
2. Ana chamou seu filho "Samuel" que significa "pedido a Deus"
3. Deus tem feito alianças com outras pessoas através dos tempos, Adão, Abraão, Noé, Israel, Davi e conosco - se cremos em Seu Filho, Jesus, Ele vai nos dar a vida eterna.
IV. Ana levou Samuel ao templo.
1. Quando seu filho tinha 3 (três) anos, Ana o levou ao templo.
2. Ana dedicou Samuel ao Senhor.
3. Ana, entre lágrimas, manteve a sua parte na aliança / acordo.
4. Tente imaginar os sentimentos de Ana quando ela levou seu filho pequeno para o templo, sabendo que ela teria que deixá-lo lá. Agora tente imaginar os sentimentos dela quando ela saiu pelas portas do templo deixando seu filho lá onde ele permaneceria o resto de sua vida. Que mãe!
Conclusão:
1. A persistência na oração é sempre recompensada por Deus.
2. Ana foi abençoada por Deus com três filhos e duas filhas.
3. Somos cristãos por causa das orações persistentes de alguém.
4. Desconhecido para muitos, suas vidas têm sido guardadas por causa da oração persistente.
5. É sempre assim com Deus. Seja persistente na oração e sempre haverá recompensa.
6. "... Pedi, e dar-se vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se vos-á..." Mateus 7:7 – “...Nada tendes, porque não pedis…” Tiago 4:2
7. Ana é um exemplo maravilhoso de ser persistente na oração e em ser uma mãe que honra a sua aliança com Deus.

O pregador